Weather Data Source: Tempo para os próximos 25 dias

GRAVE: candidatos que respondem por homicídio, extorsão e estelionato ganham prioridade no concurso da PM-AM

Compartilhe:

Amazonas – Mesmo acusados de crimes como homicídio qualificado, extorsão mediante sequestro, associação criminosa e estelionato, três policiais foram considerados “recomendados” para prosseguir no concurso de oficiais da Polícia Militar no Amazonas de 2021. O caso foi investigado pela diretoria de Controle Externo de Admissões de Pessoal, do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas, que apurou as irregularidades.

Segundo a apuração, o candidato Luiz Carlos Teles da Silva, foi considerado “recomendado” após resultado preliminar da investigação social. No entanto, o mesmo figura como réu acusado de homicídio qualificado.

Luiz Carlos Teles da Silva é acusado pela morte de Bruno Vasconcelos de Almeida, que desapareceu no dia 24 de junho de 2019. Na época, o desaparecimento ganhou as manchetes da imprensa amazonense. visto que além de Luiz Teles, outros cinco integrantes também estavam envolvidos.

Relembre o caso

O caso do desaparecimento de Bruno e do seu carro, um Peugeot 207 Passion, de cor branca e placas OAN-4D38, foi investigado pela Delegacia Especializada em Ordem e Política Social (Deops) e pela A 60ª Promotoria do Controle Externo da Atividade Policial (Proceap). A apuração resultou na denúncia ao ministério público do Amazonas do seguintes envolvidos: 1º tenente Joanderson Cleiton dos Santos, o 3º sargento Márcio André, os cabos Fernando Lima de Oliveira, Carlos Anderson Nascimento, Luis Carlos Teles da Silva e o soldado Patrik Oliveira Gomes, todos da Polícia Militar, denunciados por crimes militares relacionados ao desaparecimento do autônomo Bruno Vasconcelos de Almeida, que desapareceu no dia 24 de junho de 2019.

A delegada Catarina Saldanha Torres, que presidiu as investigações na época sobre o desaparecimento de Bruno, afirmou ter certeza que Bruno já estava morto e que foram os policiais que o mataram. “Quando são interrogados eles não respondem as perguntas e dizem que só vão falar em juízo”, declarou Torres. O caso chegou a resultar em protestos de familiares que entoaram os clamores e cartazes  de “Cadê o Bruno”.

Outros “Recomendados”

Além de Luiz Teles, o candidato Belmiro Wellington Costa Xavier também teve como resultado da investigação preliminar dentro do concurso o status de “recomendado”, no entanto Belmiro responde criminalmente por extorsão mediante sequestro e também associação criminosa.

Outra candidata para o mesmo certame, também ao cargo de oficial da PM, Juliana Peixoto Teixeira, foi outra que teve como resultado da investigação social preliminar o status de “recomendada”. No entanto, ela já foi condenada a dois anos de reclusão pelo crime de estelionato.

Os nomes dos candidatos também constam na lista dos aprovados do teste de aptidão física (TAF). Confira na íntegra: 195_pmam-resultado-preliminar-taf-2023-03-06

Fonte: CM7