Menino de 11 anos morre após mordida de rato silvestre

Compartilhe:

Brasil – Um menino, de 11 anos, morreu após ser mordido por um rato silvestre, em Urubici, na Serra Catarinense, e contrair a doença hantavirose, informou a Secretaria Municipal de Saúde nesta terça-feira (20). Outros 18 casos estão sendo investigados na cidade, segundo o secretário municipal de Saúde, Diogo Blumer.

A morte ocorreu em 7 de setembro, 48 horas após a criança ser internada no Hospital Seara do Bem, em Lages. Entretanto, o resultado do exame foi divulgado apenas na noite da última sexta-feira (16). De acordo com o secretário, a criança morava em uma área rural do município.

Segundo o secretário, os casos suspeitos monitorados pela Vigilância Epidemiológica de Urubici apresentam sintomas como dor de cabeça, dor de estômago e febre, e aguardam o resultado dos exames no Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina), em Florianópolis, que podem levar até 15 dias

Blumer informou que há um aumento do número de ratos silvestres na região da Serra catarinense. “Urubici está tomando todas as providências, com informações e controle dos casos. Estamos em alerta em Urubici”, disse o secretário.

“Estamos em alerta, tanto em relação à infestação, quanto aos casos. Antes mesmo do óbito acontecer, já estávamos em alerta por conta da proliferação de ratos silvestres. Os médicos também foram capacitados para identificar os casos de hantavírus porque os sintomas costumam ser bem parecidos com outras doenças”, completa Blumer.

Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive), no município da Serra catarinense, houve um aumento na população dos roedores silvestres dos gêneros Akodon e Oligoryzomys, que podem ter o hantavírus.

A Dive ainda informa que o aumento da população de ratos silvestres pode estar relacionado à floração da planta taquara Cará (Chusquea mimosa var. australis), que ocorreu no final do verão.

“A taquara Cará se encontra dispersa em uma extensa área de Mata Atlântica, de forma que o aumento na população de roedores silvestres pode se estender para outras regiões do Estado. Dessa forma, a Secretaria de Estado da Saúde emitiu um alerta aos serviços de saúde sobre a situação e a suspeição da doença, assim como esteve no município de Urubici e Lages para reuniões com diferentes setores para discutir sobre a situação e medidas a serem adotadas”, informou a diretoria.

A orientação é para que qualquer pessoa que apresente os sintomas busque as unidades de saúde da região.

*Com informações do Rápido No Ar*.