Weather Data Source: Tempo para os próximos 25 dias

Casal de brasileiros é agr3dido por grupo de jovens em Portugal

Compartilhe:

Portugal- O casal Bruno Cesar Alves Marcelino, 31, e Kaique dos Santos Soares, de 23, foram agredidos por um grupo de 10 jovens na madrugada do último sábado (30), após saírem de uma festa brasileira na cidade de Vila Nova de Gaia, região metropolitana do Porto, em Portugal. As informações são do site metrópoles.

O casal está morando em Portugal há dois meses. Bruno é empresário e doutorando em estudos sociais de Europa e América Latina, e resolveu se mudar com o companheiro, que é cozinheiro e estudante de gastronomia, para abrir uma startup de divulgação científica.

Na ocasião, o casal caminhava de mãos dadas quando foram abordados por um grupo de jovens e um deles pediu 10 euros. Diante da resposta negativa, o jovem desferiu um soco contra o rosto de Bruno, que tentou fugir, mas foi agarrado pela roupa.

“A gente tentou correr para não apanhar, mas me puxaram. Caí e começaram a me dar pontapés e socos. Meu companheiro voltou para me ajudar e três pessoas começaram a bater no rosto dele. Só pararam porque um deles falou para parar, porque viu que ia ficar grave e a gente poderia morrer. Ele nos mandou correr”, relata Bruno.

Alguns integrantes do grupo foram atrás dois dois, mas eles conseguiram se esconder em um canteiro de flores. Bruno ligou para o serviço de emergência de Portugal e pediu ajuda médica e policial, mas apenas uma ambulância foi encaminhada ao local.

Os policiais compareceram ao local minutos depois. Segundo o relato de Bruno, os agentes perguntavam a todo momento se eles haviam sido roubados, e pareciam não acreditar no relato dos dois.

“Eu disse que os caras estavam parados ali, e eles diziam que a gente tinha que descrever cada um deles. Quando começaram a fugir, porque viram a gente apontando, eu me exaltei e falei: ‘Vocês vão deixar os caras que nos agrediram fugirem na nossa frente?’, e só então eles foram atrás e pegaram quatro pessoas”, contou.

Os dois foram encaminhados a um hospital e não tiveram ferimentos graves. Até o momento, O casal não sabe se a ocorrência foi registrada. “Pegaram nossos dados pessoais, mas não sei o que fizeram”, disse Bruno.

Bruno e Kayque acreditam que foram vítimas de homofobia, xenofobia e racismo. De acordo com o relato do casal, a abordagem ocorreu depois que um dos jovens viu que os dois estavam de mãos dadas.

“Eles viram a gente de mãos dadas. Quando respondemos em português brasileiro, eles foram nos agredir. Aí veio o soco, ficaram com raiva”, disse Kayque. O cozinheiro relatou ainda que dois homens brancos passaram pelo grupo depois, e “não fizeram absolutamente nada”. “Foi só com a gente”, disse.

“Vimos o olhar de raiva deles”, relatou Bruno.

Bruno e Kayque contam que não querem mais ficar em Portugal e pretendem ir para outro país da Europa.

Fonte: D24am.